segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Pesquisa Experimental

A pesquisa experimental tem como finalidade testar hipóteses que dizem respeito à convicção do pesquisador. Ela envolve grupos de controle, seleção aleatória e manipulação de variáveis independentes. Buscam-se generalizações por meio de técnicas de coleta de amostragem realizadas durante a experiência.
A pesquisa experimental é tida como um bom exemplo de pesquisa científica pelo nível de controle da situação que é propiciada ao pesquisador. Assim, podemos isolar todas as estruturas das possíveis interferências externas e isso produz credibilidade aos resultados. A principal característica da pesquisa experimental, portanto, é o fato da variável independente ser manipulada pelo pesquisador evitando equívocos e ambiguidades.
Para Kerlinger (1979) o fato de as variáveis ou grupos poderem ser analisados em ambientes programados é considerada, a um só tempo, positiva e negativa. Positiva porque proporciona credibilidade já que a interferência do meio é praticamente nula e o pesquisador tem total autonomia sobre seu objeto de estudo. Esse mesmo pesquisador nos diz sobre o lado negativo afirmando que quando retiramos o objeto de seu meio natural, comprometemos as análises, pois estas serão parciais e não aplicáveis nas relações fora do ambiente propiciado pelo pesquisador.
Na pesquisa experimental fica evidenciado o valor do conhecimento empírico, pois se não houver possibilidade de um experimento ser ou não comprovado pelos sentidos ou mesmo contradizer uma hipótese, então não haverá sentido (finalidade) no experimento. Desta forma, podemos dizer que em ciência o termo empírico pode ser usado como sinônimo de “experimental”.
A segunda parte da aula foi destinada à explicação de como transformar dados quantitativos em artigo de pesquisa. Foi dado destaque especial ao programa de pesquisa SPSS, que auxilia os pesquisadores no tratamento dos dados.
Chegando ao final desta disciplina, sinto-me provocado a ler mais e mais. É preciso aprofundar as leituras o quanto antes, pois a impressão que tenho é de que “minhas dúvidas foram aprofundadas” como bem disse o colega Ivar. Mas, se “as chaves de leitura são fornecidas no mestrado” e a “Ciência não é um modo especial de acesso ao conhecimento, mas apenas mais um modo” preciso, urgentemente, apropriar-me desta chave para que novas portas possam ser abertas a favor do meu aprimoramento profissional.

Nenhum comentário: